Os secretários de Estado de Infraestrutura e Meio Ambiente e de Saúde, Marcos Penido e José Henrique Germann Ferreira, assinaram nesta quinta-feira (13) uma resolução conjunta que incentiva a sustentabilidade em São Paulo, por meio da reutilização de água não potável.

O documento moderniza uma resolução de 2017 sobre o reúso, para fins urbanos, de água proveniente de Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) Sanitário. A resolução foi formatada em parceria com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e a Coordenadoria de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde.

“Existe uma mudança de mentalidade que estamos passando e todos entendem a importância dessa água dentro de uma economia circular”, comentou Marcos Penido. A nova resolução atualiza principalmente alguns padrões de qualidade, frequência de análise, categoria e formato dos adesivos para sinalização.

“Há uma interface muito grande entre o saneamento com saúde e esse é só o começo de um grande trabalho”, disse José Henrique Germann Ferreira. A água de reúso para fins urbanos abrange exclusivamente as modalidades de irrigação paisagística; lavagem de logradouros, espaços públicos e privados; construção civil; desobstrução de galerias de água pluvial, rede de esgotos; lavagem de veículos e combate a incêndio.

Licenciamento para Água de Reúso

O produtor de água de reúso deve submeter a solicitação previamente à Estação ao Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) para avaliação quanto à disponibilidade dos recursos hídricos. Também é preciso obter, junto à Cetesb, o licenciamento da atividade e parecer técnico, bem como à Vigilância Sanitária Municipal, para licenciamento no Sistema Estadual de Vigilância Sanitária.

“Estamos aprimorando a primeira resolução do Brasil sobre qualidade da utilização da água de reúso”, frisou a assessora da presidência da Sabesp, Monica Porto. Atualmente, é permitida a comercialização da água de reúso das ETEs operadas por empresas públicas ou privadas que tratam esgotos sanitários, excluindo aquelas implantadas por estabelecimentos comerciais e industriais.

“A crise hídrica trouxe um novo olhar para o tema. Existe uma necessidade cada vez maior para o uso da água de reúso garantindo a qualidade da saúde e a segurança hídrica para a população”, explicou o superintendente de Tratamento de Esgotos da Sabesp, Nivaldo Rodrigues.

Também participaram do evento o secretário-executivo da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA), Luiz Ricardo Santoro; o diretor da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa), Renato Rossetto; os diretores da BRK Ambiental, Marcos Koehler Asseburg e Marcia Greco; os diretores da Aquapolo, Fernando Gomes da Silva, Marcio da Silva José e Sheila Oliveira; a membra do World Bank Group, Stela Goldenstein; da Secretaria da Saúde, Luiz Sérgio Ozório Valentim e da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, Patrick Johann Schindler e Maria Helena Forner.

Fonte: Saopaulo.sp.gov.br

Sumário
Estado de São Paulo Moderniza Normas para Consumo de Água de Reúso
Nome do Artigo
Estado de São Paulo Moderniza Normas para Consumo de Água de Reúso
Descrição
Nova resolução estimula a prática sustentável de utilizar o recurso oriundo da estação de tratamento de esgoto no Estado
Autor
Publicado por
Grupo FUSATI
Marca
Open chat
Olá, Podemos ajudar! Fale com um consultor!