Existe uma lei estadual, de janeiro de 2007 que estabelece normas para a contenção de enchentes e destinação de águas pluviais. É a Lei Nº 12.526, que prevê a obrigatoriedade da implantação de sistema para captação e retenção de águas pluviais, coletadas por telhados, coberturas, terraços e pavimentos descobertos que tenham área impermeabilizada superior a 500 metros quadrados, com os objetivos:

  • I – reduzir a velocidade de escoamento de águas pluviais para as bacias hidrográficas em áreas urbanas com alto coeficiente de impermeabilização do solo e dificuldade de drenagem;
  • II – controlar a ocorrência de inundações, amortecer e minimizar os problemas das vazões de cheias e, conseqüentemente, a extensão dos prejuízos;
  • III – contribuir para a redução do consumo e o uso adequado da água potável tratada.

O que isso quer dizer? É utilizar o recurso da água da chuva a fim de economizar recursos e impedir enchentes. Já que existem grandes áreas impermeáveis que impedem a absorção da chuva, empresas e organizações são responsáveis por fazer a gestão correta desse recurso.

Não é o que acontece normalmente. Na prática, temos organizações com grandes áreas impermeáveis sem escoamento adequado e sem administração do recurso pluvial, contribuindo para inundações e um menor uso adequado da água.

Abaixo dá para ver imagens da Rodoviária de Piracicaba, em um desses casos. Especialmente nessa área, temos diversas construções e áreas impermeáveis, sem atenção à captação da água da chuva.

 

 

Estação para Tratamento de Água da Chuva

Esse é mais um caso que mostra que não devemos ficar sentados esperando a prefeitura cuidar de tudo: as próprias leis obrigam empresas e organizações a trabalharem na prevenção desse tipo de situação. Não dá para por toda a culpa na sazonalidade ambiental ou no período de chuvas, já existe tecnologia suficiente para um planejamento assertivo a cerca da água nos períodos de seca e cheias. Isso muitas vezes, bem na nossa casa: condomínios e prédios são grandes beneficiários desse sistema.

Conheça nossos sistemas de tratamento da água da chuva e descubra como implantar um sistema pode contribuir para o meio ambiente, toda comunidade e ainda, para economia do negócio.

Na Estação há remoção com filtro dos sólidos grosseiros e matéria orgânica, com a posterior desinfecção via aplicação de cloro na água, através de equipamento específico.

Aplicações

  • Empresas de diversos setores;
  • Postos de combustível;
  • Lava rápidos
  • Condomínios e prédios;
  • Transportadoras;
  • Galpões;
  • Usinas;
  • Indústrias.

A água de reúso é ideal para lavagem de peças, carros, pátios, motores, pisos, jardinagem, descarga de banheiros, lavagem de ônibus, e todos os usos que não destinados ao consumo humano e animal (ingestão, alimentos e higiene pessoal). Para todos os outros usos, é segura.

Existe o sistema de grande volume, indicado para empresas e o sistema compacto, que não necessita de grande espaço. Pode ser instalada em casas, chácaras e para fins comerciais dependendo do volume.

Para implantar a Estação de Tratamento de Água da Chuva é preciso ter conhecimento:

– Do tamanho da área de contribuição (telhados, calhas) e cisterna;

– Índice pluviométrico da região

– Volume desejado para ser tratado e armazenado.

Isso no caso de água de chuva. Caso a necessidade seja o tratamento de efluentes, há outras estações personalizadas.

 

A Fusati é uma empresa de sólida reputação, tradicional e há mais de 30 anos dedica-se a melhora da qualidade da água. É referência no mercado e oferece soluções personalizadas industriais e comerciais com o melhor custo-benefício do mercado. Entre em contato pelo e-mail [email protected], pelo Whats App (19) 99608-0239 ou pelo telefone (19) 3301-6666 para auxiliarmos sua empresa.

 

Open chat
Olá, Podemos ajudar! Fale com um consultor!